quarta-feira, fevereiro 06, 2008

O amor leva tempo

Por motivos profissionais estive a ler um dossier sobre o sentido do amor que apareceu na Máxima (muito bem feito por sinal!). Nele está incluído um apontamento sobre amor e marcas que achei piada ler (e nele faço sempre uma paragem quando chego ao ponto "o amor leva tempo" - wow, é tão verdade! e por isso mesmo agora parece ser mais difícil - não temos tempo para o tempo)

Amor e marcas
Kevin Roberts, CEO mundial da agência de publicidade Saatchi & Saatchi, defende que o amor é o caminho para as empresas
• Num cenário em que as marcas perderam a sua essência, achou que o amor era a única maneira de aliviar a febre emocional e criar novos tipos de relacionamentos de que as marcas precisavam
• Lançou o conceito de Lovemarks, que não são propriedade dos fabricantes, dos produtores, das empresas. São das pessoas que as amam
• Baseou-se na sua experiência e na sua intuição, mas também em seis verdades sobre o amor:
1. Os seres humanos precisam de amor. Senão, morrem
2. Amar significa mais do que gostar muito
3. O amor diz respeito a corresponder, aplica-se a um sentir intuitivo, delicado
4. Quem e o que amamos é o que importa
5. O amor leva tempo
6. O amor não pode ser comandado ou exigido

3 comentários:

Karina disse...

Olá, meu nome é Karina e este post me chamou atenção!

No meu viver eu descobri que o amor NÃO leva tempo, ele é atemporal. Ele acontece, ele brota, nasce e ao mesmo 'tempo' ele sempre esteve e está em toda parte. Para isso ser possível ele não pode estar vinculado no tempo, se não como ele poderia ser onipresente.´
Nós é que nos sentimos sepadados do amor e o tompo é um fator de separação, de comparação. Reflita comigo... hoje eu não amo mas amnhã eu vou amar? Isso é estranho, isso é um fator que separa e restringe, e nisto não há amor.

Por isso não leva tempo... o tempo não existé. É a pura criação da mente.

Outra obeservação que você colocou no post...
4.Quem e o que amamos é o que importa

Isso também é, na minha opinião totalmente oposto ao amor. O mar ele É, não escolhe, não restrige, por favor refliat sobre isso.

COMO o AMOR de que vc fala pode se importar com o QUEM e o QUE? Isso não é amor, descupe-me falar tudo isso...mas não pude deixar passar.

O tempo cronilógico exite sim, mas o tempo emocional / psicológico NÃO.

O amor está em toda parte, basta abrir-se para ele e ele acontece AQUI E AGORA e não amanhã ou talvez um dia.

A chuva não escolhe que ela vai molhar e CHOVE ELA É, assim como o AMOR.

obrigada pela atenção!
para contatos: kpaitach@yahoo.com.br

chumani disse...

Oi Karina, no post transcrevo as "leis" sobre o amor segundo Kevin Roberts, achei engraçado falar dele e da ligação do amor com a publicidade, mas é só isso, não tenho de subscrever as tais "verdades" que ele proclama. Na verdade a única coisa que referi que estava a sentir no momento é que "o amor leva tempo", no sentido que qualquer relação exige dedicação.. como no Principezinho de Saint Exupéry.

Karina disse...

Olá!

Gostei do seu Blog, gostei muito de uma matéria que vc escreveu sobre Vegetarianismo. Até indiquei seu Blog pra uma amiga...

Só achei estranho este postagem, que já comentei. Não quis ser rude, se fui desculpe-me!

Obrigada pela atenção...

Inté!

Karina